Golos do Santa Clara em Novembro e em Dezembro


No início de cada mês será publicado neste blog um video com os melhores golos do mês passado, e estará disponível uma votação para eleger o melhor golo do mês.

No final da época será publicado um video que vai reunir os melhores golos de cada mês, para depois eleger o melhor golo da época 2011/2012 do Santa Clara.

Fiquem agora com os golos de Novembro e Dezembro, e votem, têm até dia 31 de Janeiro:

http://www.youtube.com/watch?v=MriFHxkhRds

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Vencer e terminar com onze


Bruno Moura tem dois desejos para o jogo com o Penafiel: quer somar os três pontos e espera que a nossa equipa chegue ao final da partida com os onze elementos em campo.

O Santa Clara quer dar continuidade aos recentes bons resultados e isso passa por somar os três pontos na recepção ao Penafiel em partida da 19.ª jornada do campeonato da Liga Orangina, a disputar a partir das 16.00 horas deste domingo, dia 19, no estádio de São Miguel.
O adversário que se segue não é daqueles de quem guardamos as melhores recordações pois na memória ainda estão as quatro expulsões verificadas no encontro da primeira volta. Bruno Moura quer, acima de tudo, terminar o jogo com onze em campo.
«Nem sei quem é o árbitro…», atirou, refutando qualquer sentimento de vingança, tal como o capitão Pacheco já havia dito a meio da semana. «Não encaramos o jogo numa perspectiva de vingança pois vingança teria sido somar os três pontos em Penafiel porque tivemos oportunidades de golo suficientes para vencer», recordou.
Domingo, Bruno Moura aponta ao sucesso. «Vamos à procura da terceira vitória consecutiva em casa. Para tal, será fundamental sermos uma equipa agressiva, dinâmica e capaz de criar desequilíbrios num adversário que chega aqui num bom momento», disse.
O nosso treinador reconhece qualidade ao opositor mas isso não reduz a ambição de triunfar. «Estamos de sobreaviso porque o Penafiel é uma equipa agressiva e forte nas transições pelo que teremos de lhe roubar a bola o mais cedo possível para não lhe dar espaço. Só espero que consigamos chegar ao fim com onze em campo porque nos jogos com este adversário isso não tem sido possível», lembrou.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Edson chamado à selecção


Defesa do Santa Clara continua a merecer a confiança do seleccionador da Guiné-Bissau e foi convocado para o jogo com o Camarões, relativo à segunda eliminatória de qualificação para a CAN 2013.

O defesa-direito Edson, jogador do Santa Clara, foi convocado para o desafio que a selecção de Guiné-Bissau vai disputar no próximo dia 29, frente aos Camarões, referente à segunda eliminatória de acesso à fase de grupos de qualificação para a CAN 2013.
O atleta do Santa Clara confirma com mais esta presença na convocatória as boas indicações deixadas na nossa equipa de futebol sénior, onde tem procurado entrar nas opções do nosso treinador, Bruno Moura, depois de ter reforçado o colectivo encarnado há cerca de três semanas.
Edson viaja para a Guiné-Bissau depois do encontro da 21.ª jornada do campeonato da Liga Orangina, frente ao Portimonense, no Algarve, a disputar no dia 26 de Fevereiro.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

A sorte mudou para o nosso lado

De regresso aos resultados positivos, o Santa Clara quer manter-se na senda das vitórias na recepção ao Penafiel, um adversário do qual não se guardam boas recordações em termos disciplinares. Pacheco garante que o jogo está a ser preparado sem qualquer sentimento de vingança.

O capitão do Santa Clara, Pedro Pacheco, acredita que o momento menos positivo por que a equipa passou já está superado depois das vitórias alcançadas sobre o Leixões e Guimarães e o empate no terreno do Atlético. «Penso que essa fase está superada porque há três jogos consecutivos que pontuamos e não sofremos golos», disse.
O médio está confiante que os próximos tempos serão de maior tranquilidade. «Os resultados recentes dão-nos maior motivação e confiança para continuarmos na senda positiva que iniciamos frente ao Leixões», explicando que a inversão do ciclo se ficou a dever essencialmente a um factor: a sorte!
«Jogamos sempre com o mesmo empenho e dedicação pelo que talvez tenha mudado a sorte que agora está do nosso lado», salientando também que o facto de haver mais opções no plantel também contribuiu para algum equilíbrio. «Não têm havido expulsões e isso permite ao treinador dispor de todos os jogadores disponíveis».
No horizonte encarnado está a recepção ao Penafiel, um adversário do qual o Santa Clara não guarda boas recordações, principalmente em termos disciplinares porque no jogo da primeira volta foram expulsos quatro jogadores nossos e na época transacta três também viram o cartão vermelho. Pacheco não esquece mas prefere valorizar o futebol em si.
«Não sou a pessoa indicada para falar das arbitragens mas espero que as expulsões que aconteceram em Penafiel não se repitam cá, no próximo domingo. É um desafio que encaramos com a perspectiva de vencer sem pensar em vinganças», garantiu.
Na perspectiva do nosso médio também está o regresso à selecção do Canadá que no dia 29 disputa um particular com a Arménia, no Chipre. É mais uma oportunidade para mostrar valor. «Fiquei contente com a chamada porque a lesão no início da época impediu-me de ser chamado mais vezes. Quero agradecer a confiança do seleccionador rubricando uma boa exibição», disse.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Atlético 0-0 Santa Clara


Santa Clara criou poucas mas boas oportunidades para marcar mas a inspiração no ataque não foi das melhores. Igualdade no confronto com o Atlético é resultado positivo mas não satisfaz na plenitude dos desejos encarnados.

Faltou o golo à exibição do Santa Clara no desafio com o Atlético, referente à 18.ª jornada do campeonato da Liga Orangina. A nossa equipa somou um ponto numa deslocação sempre complicada a Lisboa para defrontar um clube histórico de Portugal, dificuldades agravadas com o facto do adversário jogar em casa emprestada, nomeadamente no estádio José Gomes, na Reboleira, cujo relvado não se apresentava nas melhores condições.
O estado do relvado condicionou sobremaneira a prestação da nossa equipa pois a bola nem sempre rolava como era pretendido e por vezes os pedaços de relva solta alteravam a trajectória do esférico. Mais habituado a jogar naquele recinto, o Atlético exerceu ligeira supremacia nos minutos iniciais mas depressa o Santa Clara equilibrou a contenda.
Moreira, aos 27 minutos, dispôs da melhor oportunidade de golo da primeira parte mas o remate do nosso avançado levou a bola a sair ligeiramente ao lado da baliza defendida por Caleb. O nulo ao intervalo traduzia as dificuldades do Santa Clara em assentar jogo num relvado pouco convidativo.
A equipa apareceu mais acutilante na segunda parte e a entrada de Minhoca dinamizou o meio-campo. Foi o médio açoriano que tentou chegar ao golo num remate que Caleb defendeu com dificuldade e já sobre o minuto 90, na melhor oportunidade do desafio, Paulo Grilo isolou-se mas o remate saiu fraco e de defesa fácil para o guarda-redes contrário.
O resultado não viria a sofrer alteração no período de descontos, ficando a sensação de que o Santa Clara poderia ter conquistado um resultado melhor na Amadora. À exibição competente só faltou o merecido golo.
No estádio José Gomes, na Reboleira, o Santa Clara alinhou com: Stefanovic; André Simões, Sandro, Edgar e Nelson; Djurdjevic (Minhoca), Pacheco e Lourenço; Moreira, Sylvestre (Valdinho) e Platini (Paulo Grilo).
Treinador: Bruno Moura.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Explorar a ansiedade contrária

Bruno Moura acredita que o Atlético poderá revelar alguma ansiedade nos minutos iniciais, período onde tentará pressionar na procura do golo. Saber explorar as transições ofensivas poderá permitir a conquista de um resultado positivo na Reboleira.

O Santa Clara procura na deslocação ao estádio José Gomes, na Reboleira, casa emprestada do Atlético, a terceira vitória consecutiva, segunda no campeonato da Liga Orangina para o qual o desafio é válido, referente à 18.ª jornada. A nossa equipa apresenta-se mais confiante depois do regresso aos triunfos mas Bruno Moura não espera facilidades diante de um opositor que só venceu um dos últimos oito encontros.
«Estamos mais confiantes mas esperamos um jogo difícil diante de um Atlético que só venceu por uma vez nos últimos oito encontros disputados. Queremos dar continuidade ao bom momento e para tal será necessário apresentar um futebol organizado, saber explorar as transições ofensivas e tentar comandar o jogo», disse.
Bruno Moura quer tirar partido de alguma intranquilidade que o adversário possa revelar devido ao momento menos positivo que atravessa. «O Atlético poderá apresentar-se um pouco ansioso pelo que teremos de ser capazes de explorar esse aspecto, principalmente nos primeiros minutos pois esperamos que o opositor entre a pressionar».
O relvado do estádio José Gomes, na Reboleira, pode ser um handicap. «O campo não se apresenta nas melhores condições mas vamos lá com o intuito de tentar somar os três pontos cientes de que a confiança que temos nesta fase não nos pode trair», vincou.

Fonte: site ofical do SANTA CLARA

Lista de convocados para o jogo com o Atlético

O treinador do Santa Clara convocou dezoito jogadores para a partida com o Atlético, a disputar domingo, às 14.00 horas, no estádio José Gomes, na Reboleira, jogo referente à 18.ª jornada do campeonato da Liga Orangina.

Bruno Moura, treinador da equipa sénior do Santa Clara, convocou dezoito jogadores para o desafio da 18.ª jornada do campeonato da Liga Orangina, frente ao Atlético, a realizar no próximo domingo, dia 13, no estádio José Gomes, na Reboleira (Amadora).
Os convocados são: Stefanovic, Sandro, Piccolo, Nelson, André Simões, Minhoca, Pacheco, Moreira, Platini, Valdinho, Djurdjevic, Edgar, Pipo, Lourenço, Brice Niclos, Paulo Grilo, Edson e Sylvestre.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Pacheco e Pipo convocados

Os dois jogadores do Santa Clara foram convocados para as respectivas selecções nacionais que preparam provas distintas. O regresso de Pacheco após lesão confirma que o seleccionador conta com o nosso médio.

Pedro Pacheco, médio do Santa Clara, foi novamente convocado pelo seleccionador do Canadá, Stephen Hart, para mais um jogo de preparação que a selecção canadiana vai disputar no dia 29 de Fevereiro, no Chipre, diante da Arménia. Depois de uma lesão o ter afastado das convocatórias no final de 2011, o nosso capitão volta a merecer a confiança da equipa técnica.
Também o avançado Pipo foi chamado por Ilídio Vale para mais um estágio da selecção sub-20 de Portugal. Os treinos vão decorrer entre 13 e 15 de Fevereiro, em Rio Maior, pelo que o jovem atacante apresentar-se-ão ao trabalho na segunda-feira, logo após o jogo com o Atlético.
Recorde-se que para além de Pedro Pacheco e Pipo, também Tiago Maia, Paulo Grilo e Alex são regularmente convocados às respectivas selecções lusas, presenças que reforçam a aposta que o Santa Clara tem feito em jovens valores nacionais com qualidade indiscutível e elevada margem de progressão.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Estreia foi prémio merecido



Guarda-redes francês realizou o primeiro jogo oficial pelo Santa Clara e fez um balanço positivo à sua prestação na partida com o Guimarães. Reconheceu que é difícil destronar Stefanovic da titularidade.

Brice Niclos estreou-se ao serviço do Santa Clara no jogo que a nossa equipa disputou com o Guimarães, referente à terceira jornada do grupo B da Taça da Liga. O guarda-redes francês foi a escolha do treinador, Bruno Moura, para defender a baliza na ausência do lesionado Stefanovic e a estreia não poderia ter corrido melhor. A nossa equipa venceu e Brice Niclos não sofreu golos, contribuindo para a conquista dos três pontos.
«Foi o meu primeiro jogo como profissional em Portugal e foi muito para mim porque penso ter rubricado uma boa exibição. Na semana que antecedeu o desafio senti algum nervosismo, alguma ansiedade, mas assim que entrei para o aquecimento tudo passou. Foi uma boa sensação e um prémio pelo trabalho que tenho desenvolvido», disse.
O francês de 22 anos esperou quase sete meses por uma oportunidade reconhecendo mérito a quem tem jogado mais vezes. «É, de facto, muito tempo sem jogar mas o Stefanovic tem estado muito bem. Para além disso, estou a discutir a titularidade com um internacional sérvio e com um internacional português (Tiago Maia), pelo que não posso deixar de estar satisfeito pelo trabalho que tenho desenvolvido e esperar que o treinador me chame mais vezes pois é para isso que estou aqui e estou pronto para ajudar», sublinhou.
À alegria de ter jogado junta-se a satisfação da escolha que fez no início da temporada. «Em França estava a jogar num clube da quarta divisão e aqui estou num campeonato profissional. Fui muito bem recebido, sinto-me feliz e integrado mas no início não foi fácil devido à língua. E depois o clima é bem melhor. Em França, por esta altura, estão vinte graus negativos».
Quanto ao futuro, Brice Niclos concentra-se no… presente! «Estar no Santa Clara é uma boa oportunidade e espero, acima de tudo, continuar a progredir», afirmou.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Santa Clara é património dos Açores



O Presidente do Governo Regional esteve presente no jantar do 91º aniversário do nosso clube. Na ocasião, Carlos César garantiu a continuidade dos apoios ao Clube Desportivo Santa Clara.
Carlos César considera que o Clube Desportivo Santa Clara “é hoje património da Região. É património dos Açores inteiros. Os seus sucessos ao mais alto nível competitivo são sucessos dos Açores. Quando se ouve a descrição ou o relato de um jogo de futebol, não se ouve dizer que é a equipa do Largo Mártires da Pátria, ouve-se dizer que é a equipa dos Açores, que é a equipa açoriana. Portanto é património que vai para além da rua, da freguesia, do município e da ilha”.
O Presidente do Governo dos Açores falava no jantar comemorativo dos 91 anos do Clube Desportivo Santa Clara e, em dia de aniversário, deixou uma prenda aos encarnados de Ponta Delgada.
O Governo Regional apoia o clube porque entende que “o resultado da sua acção desportiva, o resultado da sua projecção é bom para os Açores, ajuda os Açores, dá boa nota dos Açores. E é por isso que nós apoiamos significativamente, do ponto de vista financeiro e do ponto de vista logístico, a acção e a actividade do Clube Desportivo Santa Clara, em particular na modalidade do futebol e na sua participação nas competições profissionais”. E esse apoio é para manter.
“No que diz respeito ao Governo Regional”, adiantou Carlos César, “o que eu posso dizer-lhes é que, como nós já fizemos o que a troika mandou fazer agora à Região Autónoma da Madeira - autónoma é um excesso, à Região da Madeira - de retirar-lhes 15% do apoio à actividade desportiva, nós já fizemos isso. Isto significa que, muito provavelmente, o Governo dos Açores tem condições de manter o apoio que tem vindo a prestar, e que prestou nesta época desportiva, ao Clube Desportivo Santa Clara. E isso, confesso-vos, no tempo de hoje, não só é uma notícia difícil de dar como é uma notícia agradável de ouvir”.
Para Carlos César, “o Santa Clara é uma instituição com mais tempo do que a nossa autonomia. Mas é uma instituição que representa também a mesma pujança, a mesma vontade de progredir, de preservar, de desenvolver, de sobreviver, de resistir e de vencer que aqueles que entendem que o auto governo e o discernimento dos açorianos na governação da sua própria terra constitui uma vantagem”.
Para o Presidente do Governo, “encarar o desporto apenas na sua acepção competitiva e o que isso representa de fugaz, de episódico, de conjuntural, é pouco. E por isso também, julgar uma instituição como o Santa Clara apenas pelo resultado de hoje ou apenas pelo resultado de ontem também é bastante pouco. O Santa Clara é, para nós, uma instituição que partilha com todas as outras e ao mais elevado nível, esta responsabilidade de representar os Açores, de lutar pelos Açores e de dar boa conta dos Açores. E por isso, quer se seja do Santa Clara quer não - eu sou, até sou sócio - nós devemos estar com o Santa Clara desde que estejamos com os Açores”.
Carlos César terminou com um voto e uma saudação. Estima “que todos pensem e que todos trabalhem para que esta instituição tenha um sucesso garantido no futuro e que estes 91 anos signifiquem que a sua perenidade é algo que é indissociável da nossa convivência com as instituições desportivas.
Posso por isso dizer sem excesso de partidarismo desportivo: viva o Santa Clara!”.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Santa Clara 1-0 Vitória de Guimarães

Santa Clara fechou inédita presença na terceira fase da Taça da Liga com vitória sobre o Guimarães. Moreira marcou de grande penalidade o golo que deu o triunfo por 1-0, mas poderiam ter sido dois ou três…

O Santa Clara despediu-se da primeira presença na terceira fase da Taça da Liga com uma vitória inequívoca por 1-0 sobre o Guimarães, deixando ao longo dos 90 minutos sinais inequívocos de que o colectivo está em crescendo depois de superada uma fase complicada ao longo dos meses de Dezembro e Janeiro.

O triunfo sobre o Guimarães não só nos conferiu o terceiro lugar no grupo B como deixou claro que o colectivo de Bruno Moura tem qualidade para recuperar posições no campeonato da Liga Orangina. O adversário, reconhecidamente superior, pouco ou nada incomodou o nosso sector defensivo que apesar de algumas alterações revelou serenidade e confiança.

O jogo começou com o Santa Clara à procura do golo e Sylvestre, aos quinze minutos, ensaiou o primeiro remate que saiu à figura do guarda-redes Douglas. No minuto seguinte Moreira atirou de primeira mas ligeiramente por cima. Pouco depois foi Pacheco na área quem perdeu demasiado tempo para o remate, perdendo-se também nova oportunidade para facturar.

Com maior acutilância nos desenhos ofensivos, com criatividade e rápidas trocas de bola, o Santa Clara só não chegou ao intervalo em vantagem por manifesta infelicidade pois, aos trinta minutos, Moreira viu El Adoua substituir Douglas em cima do risco fatal e negar-lhe o golo.

Mas Moreira haveria de marcar aos 60 minutos, numa penalidade superiormente cobrada que puniu mão na bola de Freire após canto de Lourenço. E o mesmo Moreira, três minutos depois, viu Douglas negar-lhe o segundo com uma defesa de recurso depois do nosso avançado se isolar por entre os centrais a passe de Pacheco.

A supremacia do Santa Clara poderia ter sido coroada com uma vantagem mais justa no marcador já perto do final da contenda mas o livre de Alex levou a bola a embater no poste. O triunfo, esse, há muito que parecia assegurado, como o foi, pois o Guimarães pouco fez para levar um resultado positivo de Ponta Delgada.

No estádio de São Miguel, o Santa Clara alinhou com: Brice Niclos; André Simões, Piccolo, Edgar e Nelson; Djurdjevic, Pacheco (Minhoca, 65) e Lourenço; Sylvestre (Pipo, 85), Moreira (Alex, 81) e Platini.

Treinador: Bruno Moura.

Assistência: 809 espetadores

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Lista de convocados para o jogo com V. Guimarães



O treinador do Santa Clara convocou dezoito jogadores para a partida com o Guimarães, a disputar sábado, dia 4, às 16.00 horas, no estádio de São Miguel, jogo referente à 3.ª jornada do grupo B da Taça da Liga.
Bruno Moura, treinador da equipa sénior do Santa Clara, convocou dezoito jogadores para o desafio da 3.ª jornada do grupo B da Taça da Liga, frente ao Guimarães, a realizar no próxima sábado, dia 4, no estádio de São Miguel.
Os convocados são: Guilherme, Marcio Piccolo, Nelson, André Simões, Minhoca, Pacheco, Moreira, Platini, Alex, Djurdjevic, Edgar, Dincic, Pipo, Ilic, Lourenço, Brice Niclos, Tiago Maia e Sylvestre.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Edson quer triunfar no Santa Clara

Defesa-direito foi oficialmente apresentado e já realizou o primeiro treino com os novos colegas. Intenção do guineense passa por constituir opção para o treinador e ajudar a equipa a alcançar as metas propostas.

Edson Silva, defesa-direito luso-guineense de 27 anos, foi ao início desta tarde oficialmente apresentado como jogador do Santa Clara, cedido a título de empréstimo pelo Beira Mar até ao final da temporada em curso. Pouco utilizado no clube de Aveiro, o experiente lateral quer voltar a cotar-se ao nível que motivou a transferência do Moreirense para o Beira Mar.
«A ambição que tenho é essa, ou seja, voltar a jogar com maior regularidade, trabalhar para ser opção no Santa Clara e ajudar a equipa a alcançar os objectivos propostos», disse, satisfeito pela conclusão das negociações que o levaram a abraçar uma nova etapa na carreira. «O Santa Clara abriu-me as portas, fui bem recebido e de agora em diante só penso em trabalhar porque ajudar a equipa também me ajudará a voltar ao melhor nível».
Edson chega em boa condição física mas carece de ritmo competitivo pois foi pouco utilizado no clube anterior. «Fisicamente estou bem porque na Liga Zon Sagres a carga de treino é exigente», salientou, pronto para começar a jogar assim que o treinador, Bruno Moura, entender, a quem teceu elogios. «Sei que ele já trabalhou no Beira Mar e falaram-me muito bem dele», disse.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Vitória faz-nos acreditar mais

Edgar salientou que o triunfo sobre o Leixões oferece mais tranquilidade à equipa numa fase em que a vitória já começava a fazer falta. Guimarães é o adversário que se segue e a intenção passa por alcançar outro resultado positivo.

A vitória do Santa Clara sobre o Leixões alcançada no desafio da 17.ª jornada do campeonato da Liga Orangina permitiu recolocar a nossa equipa no rumo dos resultados positivos, um ensejo que era procurado há muito pelo colectivo orientado por Bruno Moura mas que por mais diversos motivos tardava em ser concretizado.
Edgar foi capitão nessa partida e reconheceu que o triunfo por 2-0 veio dar maior tranquilidade ao grupo. «Depois de um ciclo negativo é natural que uma vitória nos faça acreditar ainda mais porque, no fundo, era o resultado que nos estava a faltar. Fazíamos de tudo para vencer mas não conseguíamos por um ou outro motivo», disse.
O médio defensivo realçou também que o Santa Clara nada deve em termos de qualidade a outros opositores. «No domingo ficou evidente a nossa supremacia em relação ao Leixões e o nono lugar que ocupamos não condiz com o valor da nossa equipa».
Depois do regresso aos triunfos segue-se a recepção ao Guimarães em jogo da terceira jornada do grupo B da Taça da Liga. O Santa Clara já não pode chegar às meias-finais mas quer fechar a participação com novo desempenho positivo. «É mais um jogo para desfrutarmos e tudo o que vier de bom é positivo. Realizamos duas boas exibições frente ao Marítimo e ao Benfica, desempenho que vamos procurar repetir e tentar juntar-lhe pontos, se possível os três, pois é o que nos falta nesta fase da prova», referiu.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

91 anos de história e glória

O Clube Desportivo Santa Clara completa hoje mais um ano de existência. De fato, cumprem-se esta terça-feira, dia 31 de Janeiro de 2012, 91 anos de vida do Clube Desportivo Santa Clara.
Neste dia impõe-se recordar que vida do maior clube desportivo dos Açores é preenchida por uma história vasta e riquíssima, em que os momentos de glória orgulham o simples fato de “ser açoriano”, quer se tenha ou não nascido nos Açores.
O percurso ao longo deste período de tempo, é marcado por uma história vasta e riquíssima, pincelada por momentos de glória que orgulham aquela que é a maior colectividade desportiva dos Açores e quem ela serve com dedicação, carinho, quase sempre sem dela retirar quaisquer dividendos ou proveitos pessoais.
Hoje, o clube extravasou, em muito, as barreiras do nobre local de Santa Clara – actualmente elevado a freguesia – onde foram criadas as bases de um sonho lindo, que rapidamente tem evoluído para se transformar numa marca de uma Região no Mundo.
Manda dizer a verdade que o Clube Desportivo Santa Clara é, nos dias que correm, uma referência desportiva e social, mas também uma escola de vida, na qual se aprendem e transmitem valores e exemplos, sempre em concordância com o respeito que a visibilidade pública implica. Percorrer estes 91 anos de vida, é depararmo-nos com uma história que nos enobrece a todos, independentemente da preferência clubista de cada açoriano, porque também aqui quem serve, ou serviu, esta instituição sabe que do outro lado está sempre alguém – entenda-se pessoas, que apesar de defenderem outras causas, são merecedoras do nosso maior respeito.
Neste dia, apraz ainda dizer que, apesar das dificuldades que se nos deparam, este é um clube com futuro.
Orgulhoso do seu passado e presente, a verdade é que as bases para uma longa e profícua vida do Clube Desportivo Santa Clara são lançadas a cada dia que passa, no ultrapassar de cada desafio ou dificuldade, muitas vezes contra alguns (poucos), que na hora de apoiar, preferem apontar o dedo, certamente por ser essa a via mais fácil de quem não tem noção do quotidiano e o respeito pelo esforço daqueles que, sempre de maneira descomprometida, querem fazer deste, um clube cada vez maior.
E é este o verdadeiro paradigma do momento: lutar e voltar a lutar para dignificar uma instituição que, como nos orgulhámos de dizer, é “provavelmente, a melhor marca dos Açores”.
O povo açoriano habituou-se a combater as dificuldades inerentes à sua condição ultra-periférica com a determinação e querer, denotando sempre uma vontade inultrapassável de fazermos com menos o que outros fazem com muitos mais recursos.
No Santa Clara, tal desiderato corresponde na perfeição ao sonho de ombrearmos com os grandes, mesmo que para isso tenhamos de fazer alguns sacrifícios. E este esforço só poderá ser compreendido, por quem sente esta causa e dela faz um modo de estar.
Hoje, cumprem-se 91 anos do sonho de um conjunto de homens que deu corpo e alma ao que agora podemos afirmar, com rigor e orgulho: ser o Clube Desportivo Santa Clara, uma organização para todos e de todos, que está no caminho certo, na rota do progresso e para a qual o futuro reserva, certamente, mais uma panóplia de momentos de júbilo e alegria sem par.
Neste dia, pelas 19h00, na igreja de Santa Clara, reza-se uma missa em memória de sócios, dirigentes, atletas e simpatizantes já desaparecidos. Um momento que servirá também para dar asas ao orgulho de todos aqueles que clamam orgulhosamente, a uma só voz, “eu sou do Santa Clara”.
Por tudo isso, no próximo sábado, no Hotel Lince, terá lugar o Jantar de Aniversário. Um encontro que embora tenha em conta o actual momento, não deixará de ser uma verdadeira festa da família santaclarense. E como também não pode deixar de ser, estão todos convidados a associarem-se à efeméride que terá início pelas 20h00 horas, estando os ingressos disponíveis com preços especiais para sócios e acompanhantes na sede do clube, no período compreendido entre as 09h00 e as18h00 horas. Ao longo do serão, para além da oportunidade de poderemos confraternizar com os atuais e antigos atletas do clube, haverá ainda a oportunidade de sortearmos diversas camisolas e uma bola autografada pelo atual plantel do futebol profissional, para além de outros adereços associados aos principais símbolos com a marca Santa Clara.
VIVA O SANTA CLARA !!!

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Edson reforça defesa

Lateral direito de 27 anos reforça a defesa do Santa Clara. É um jogador experiente e com conhecimento ao nível da competitividade da Liga Orangina. Chega por empréstimo do Beira Mar.

Edson Silva, defesa de 27 anos, é reforço do Santa Clara Açores, Futebol SAD, tendo em vista a segunda metade do campeonato da Liga Orangina, temporada desportiva 2011/12. O jogador assinou contrato profissional válido até ao final da época em curso, por cedência a título de empréstimo do Beira Mar. Edson Silva chega ao Santa Clara a custo zero.
Natural de Lisboa, Edson Silva é filho de pais guineenses pelo que tem dupla nacionalidade, tem 1,85 metros e 72 quilos. É um lateral direito experiente, com conhecimento da competitividade que existe na Liga Orangina e em campo é um atleta forte na marcação, com boa impulsão e associa-se muitas vezes no apoio ao ataque.
Em Portugal já representou diversos clubes mas foi nas três épocas que esteve ao serviço do Atlético de Valdevez que reforçou competências que lhe permitiram dar o saldo para os campeonatos profissionais, representando o Moreirense nas últimas duas temporadas. As boas exibições em Moreira de Cónegos levaram-no para o Beira Mar, clube da Liga Zon Sagres.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Clube não vai sofrer liquidação

A garantia foi dado pelo presidente, Mário Batista, no dia em que se ficou a saber que o ex-jogador Pedro Figueiredo pediu a insolvência do Clube Desportivo Santa Clara.

O presidente do Clube Desportivo Santa Clara tranquilizou os sócios e simpatizantes da nossa instituição depois de ter sido tornado público que o ex-jogador Pedro Figueiredo tinha pedido a insolvência do clube, pedido esse que deu entrada no 2.º juízo do Tribunal Judicial de Ponta Delgada.
«Em termos pedagógicos posso dizer que qualquer cidadão pode mover um processo de insolvência desde que tenha valores a receber. O senhor Pedro Figueiredo reclamou em primeira instância uma verba superior à que lhe era devida, isto para se aferir da má-fé do processo», começou por dizer Mário Batista.
E continuou: «Este é um processo muito cinzento desde o início porque ele nem chegou a jogar no Santa Clara. Este processo de insolvência tem o intuito de nos pressionar para ser ressarcido dos montantes em atraso mas a verdade é que o Clube Desportivo Santa Clara tem tido enormes dificuldades financeiras e interrompemos o pagamento da pensão porque não temos fundos».
O processo de insolvência segue agora os trâmites legais. «Será nomeado um administrador de insolvência por nós indicado e no prazo de trinta dias todos os credores poderão reclamar os seus créditos. Vamos aguardar com serenidade porque o nosso departamento jurídico está a acompanhar o caso e posso assegurar que o clube não vai sofrer qualquer liquidação», acrescentou.
O nosso presidente destacou ainda que «conseguimos acordos com o BANIF, a Segurança Social e as Finanças e só não conseguimos chegar a acordo com o senhor Pedro Figueiredo, isto para se perceber a má fé dele. Possivelmente será realizada uma assembleia de credores e como a prioridade é para as instituições supra referidas, em caso de insolvência ele poderá é nem receber nada. Oxalá não se vire o feitiço contra o feiticeiro», vincou.
Mário Batista apontou também que a dívida do Clube Desportivo Santa Clara está nos cinco milhões de euros, recordando que o passivo «resulta de gestões anteriores». O presidente reconheceu que uma notícia destas pode «descredibilizar a imagem do clube» mas vincou que «não é menos verdade que estamos a pagar a factura de gestões passadas», garantindo que «o projecto Santa Clara não está em causa nem afecta a SAD».

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Sofrimento escusado

No desafio da nona jornada do campeonato de São Miguel a equipa amadora do Santa Clara alcançou mais uma vitória ao derrotar a União de Nordeste pela diferença mínima.

O Santa Clara B deslocou-se à bonita Vila do Nordeste, para defrontar o União local, equipa que vinha de quatro jogos sem perder e que no seu reduto coloca sempre grandes dificuldades aos opositores.
Ambas as equipas entraram cautelosas, com a maior qualidade dos nossos atletas a permitir um maior ascendente encarnado sobretudo no último terço do terreno, pese embora alguma precipitação no critério da decisão foram melhores as nossas oportunidades e foi com naturalidade e mérito que Hélder numa bonita jogada de equipa coloca a nossa equipa em vantagem, resultado com que se chegou ao intervalo.
No reatamento entrou muito forte o Santa Clara dispondo do domínio do jogo e de algumas oportunidades para dilatar o resultado, nesse capítulo faltou eficácia e discernimento, sobretudo no capítulo do último passe, como quem não marca sofre, foi em sofrimento e algum coração que a nossa equipa aguentou nos minutos finais da partida um resultado deveras importante e motivador que podia e devia ter sido construído de outra forma.
A arbitragem esteve ao nível do jogo, mediana!
No Municipal de Nordeste, o Santa Clara alinhou com: Vítor Vieira, Vítor, Filipe, António, Tiago, B10, Chalana, Diogo, Cannigia, Hélder (Ivo) e Basílio (L. Filipe).
Treinador: Pedro Bermonte.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Santa Clara 2-0 Leixões

´
Golos de Platini e Minhoca deram a vitória (2-0) ao Santa Clara sobre o Leixões. Segunda parte de maior envolvência ofensiva justificou o triunfo. Resultado até poderia ter sido mais dilatado.

Dois meses depois da última vitória o Santa Clara voltou a saborear um triunfo ao derrotar, em casa, o Leixões, em partida da 17.ª jornada do campeonato da Liga Orangina. Para trás ficaram oito semanas de resultados menos positivos mas nem sempre condizentes com o futebol praticado. A felicidade esteve, enfim, do nosso lado.
Como em partidas anteriores, a nossa equipa entrou à procura do golo mas a ansiedade toldou a criatividade e o passe longo nem sempre foi a melhor solução. O Leixões, mais tranquilo, procurava o ataque de forma esporádica e, aos 19 minutos, Jumisse teve a melhor oportunidade para marcar após defesa de Stefanovic a remate de Pedro Santos.
Era preciso mudar e terá sido isso que o treinador, Bruno Moura, pediu aos seus jogadores durante o intervalo, promovendo também a troca de Alex por Sylvestre. O brasileiro colocou maior criatividade no ataque e dos seus pés saiu a jogada que permitiu a Moreira cruzar para Platini fazer o 1-0 à boca da baliza, aos 48 minutos.
E não foi preciso esperar muito para obter o golo da tranquilidade pois aos 52 minutos Minhoca converteu no 2-0 uma penalidade que castigou mão na bola de Marcelo após remate de bicicleta de Platini, isto na recarga a um primeiro tiro de Minhoca à trave. A vantagem de dois golos serenava a nossa equipa e conferia-lhe maior confiança.
O Leixões reagiu e, aos 67 minutos, num lance aparentemente inofensivo, Hernâni viu a bola embater no poste da nossa baliza e depois foi Edgar a negar o remate a Moisés. Sem nunca deixar de procurar o terceiro tento, o Santa Clara acabou prejudicado pela acção do árbitro auxiliar que tirou um fora-de-jogo inexistente a Moreira quando este se isolava.
A actuar com menos duas unidades – Marcelo foi expulso por acumulação de amarelos e Joel saiu lesionado quando os forasteiros já tinham esgotado as substituições – o Leixões poderia ter saído do estádio de São Miguel com um resultado mais pesado pois Platini proporcionou ao guarda-redes Waldson a defesa da tarde e Moreira, num remate cruzado, viu o esférico sair ligeiramente ao lado.
No estádio de São Miguel, o Santa Clara alinhou com: Stefanovic; André Simões, Sandro, Edgar e Paulo Grilo; Djurdjevic (Piccolo, 65), Minhoca (Nelson, 86) e Lourenço; Alex (Sylvestre, 45), Moreira e Platini.
Treinador: Bruno Moura.

Assistência: 478 espetadores

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Lista de convocados para o jogo com o Leixões

O treinador do Santa Clara convocou dezoito jogadores para a partida com o Leixões, a disputar domingo, às 16.00 horas, no estádio de São Miguel, jogo referente à 17.ª jornada do campeonato da Liga Orangina.

Bruno Moura, treinador da equipa sénior do Santa Clara, convocou dezoito jogadores para o desafio da 17.ª jornada do campeonato da Liga Orangina, frente ao Leixões, a realizar no próximo domingo, dia 29, no estádio de São Miguel.
Os convocados são: Stefanovic, Sandro, Piccolo, Nelson, André Simões, Minhoca, Moreira, Platini, Valdinho, Alex, Djurdjevic, Edgar, Dincic, Ilic, Lourenço, Brice Niclos, Paulo Grilo e Sylvestre.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Domingo vamos dar a volta!

Bruno Moura espera que frente ao Leixões a sorte mude mas não falta confiança para recolocar o Santa Clara no rumo das vitórias. Treinador voltou a frisar a necessidade da equipa colocar maior confiança e serenidade no momento da finalização.

O Santa Clara quer superar uma fase menos positiva de resultados já na recepção ao Leixões em partida da 17.ª jornada do campeonato da Liga Orangina, a disputar no próximo domingo, dia 29, no estádio de São Miguel, com início às 16.00 horas. A nossa equipa recebe um adversário reconhecidamente difícil mas no pensamento dos jogadores está apenas o desejo de conquistar os três pontos.
«Como em qualquer jogo só nos interessa a vitória e vamos fazer tudo para lutar pelos três pontos. Espero que a tendência ofensiva verificada frente ao Arouca, principalmente na primeira parte, se mantenha e que consigamos melhorar a finalização», disse Bruno Moura no lançamento de mais um desafio do campeonato.
O nosso treinador está confiante no regresso aos resultados positivos. «Domingo vamos dar a volta!», atestou, sem esquecer que a sorte também ajuda. «Por vezes a bola desvia e sai e noutras vezes desvia e entra. Também precisamos da estrelinha da sorte e bem que temos trabalhado para a ter…», desabafou.
Bruno Moura não atira a toalha ao chão e realçou a qualidade do trabalho que tem sido desenvolvido. «Temos trabalhado bem, somos fortes nos treinos, as oportunidades aparecem nos jogos mas não temos tirado o devido proveito delas, muitas vezes por falta de sorte», disse, realçando que o importante é «confiarmos no nosso trabalho, sermos o mais objectivo possível e procurarmos fazer golo com o mínimo de ansiedade».

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Domingo vamos dar a volta!

Bruno Moura espera que frente ao Leixões a sorte mude mas não falta confiança para recolocar o Santa Clara no rumo das vitórias. Treinador voltou a frisar a necessidade da equipa colocar maior confiança e serenidade no momento da finalização.

O Santa Clara quer superar uma fase menos positiva de resultados já na recepção ao Leixões em partida da 17.ª jornada do campeonato da Liga Orangina, a disputar no próximo domingo, dia 29, no estádio de São Miguel, com início às 16.00 horas. A nossa equipa recebe um adversário reconhecidamente difícil mas no pensamento dos jogadores está apenas o desejo de conquistar os três pontos.
«Como em qualquer jogo só nos interessa a vitória e vamos fazer tudo para lutar pelos três pontos. Espero que a tendência ofensiva verificada frente ao Arouca, principalmente na primeira parte, se mantenha e que consigamos melhorar a finalização», disse Bruno Moura no lançamento de mais um desafio do campeonato.
O nosso treinador está confiante no regresso aos resultados positivos. «Domingo vamos dar a volta!», atestou, sem esquecer que a sorte também ajuda. «Por vezes a bola desvia e sai e noutras vezes desvia e entra. Também precisamos da estrelinha da sorte e bem que temos trabalhado para a ter…», desabafou.
Bruno Moura não atira a toalha ao chão e realçou a qualidade do trabalho que tem sido desenvolvido. «Temos trabalhado bem, somos fortes nos treinos, as oportunidades aparecem nos jogos mas não temos tirado o devido proveito delas, muitas vezes por falta de sorte», disse, realçando que o importante é «confiarmos no nosso trabalho, sermos o mais objectivo possível e procurarmos fazer golo com o mínimo de ansiedade».

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Dar a volta frente ao Leixões

Bruno Moura acredita na qualidade do trabalho que está a ser desenvolvido e na competência da equipa que orienta. Treinador reclama apenas um pouco mais de sorte para inverter os resultados recentes e criticou quem critica sem estar munido de todos os dados.

A derrota averbada pelo Santa Clara no passado domingo, em Arouca, com um golo sofrido contra a corrente do jogo no período de descontos da primeira parte, acentuou o sentimento de manifesta falta de sorte que persegue a nossa equipa mas o colectivo às ordens de Bruno Moura prepara-se para reagir, mais uma vez, na recepção ao Leixões, na expectativa também que a sorte mude.
O nosso treinador vincou isso mesmo perante os jornalistas na conferência de Imprensa desta quarta-feira. «Vamos continuar a acreditar e acreditar que as coisas estão ser bem feitas pois revelamos organização mas tem faltado confiança no momento da finalização e, também, a pontinha de sorte que os adversários têm tido», disse.
Bruno Moura resignou-se às evidências ao referir que «não estamos numa fase de sorte», mas recusou atirar a toalha ao chão. «Acreditamos que vamos dar a volta já contra o Leixões. É normal que exista ansiedade e que os jogadores queiram fazer as coisas depressa e bem mas as coisas boas também hão-de vir. Todo o grupo tem manifestado vontade em alterar a situação».
O técnico sustentou que só é possível superar esta fase com um triunfo mas não deixou de lançar algumas críticas às críticas que têm surgido. «Só se dá a volta a este momento ganhando já o próximo jogo mas é preciso notar que temos sido uma equipa competente e que só por manifesta infelicidade não temos conseguido chegar à frente no marcador. A primeira parte em Arouca foi das melhores que tivemos mas não conseguimos marcar. Há muita gente que gosta de dar opinião mas contestar a nossa competência sem ter os dados todos não é correcto», atirou.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Os melhores dos Açores!

Os nossos juvenis vão representar o arquipélago dos Açores na segunda fase do campeonato nacional em virtude de se terem sagrado campeões regionais.

No último e derradeiro jogo do regional os nossos juvenis empataram a uma bola com o Angrense, num jogo que não começou bem para os nossos jovens, muito em culpa por não ter sido nesta etapa uma equipa ao nível do que nos habituou esta época, mas também por uma excelente entrada do Angrense, que mostrou ter muitos argumentos no seu plantel.
A equipa da ilha Terceira acabaria por se adiantar no marcador por intermédio de Honório numa falha defensiva do Santa Clara que permitiu espaço ao avançado contrário ao que este agradeceu. Com o Angrense por cima do jogo e com os nossos juvenis a não conseguirem actuar ao seu nível habitual, o nosso treinador viu-se na obrigação de mexer cedo na equipa e lançou ao jogo Hugo Tavares. A partir daqui o Santa Clara começou a ganhar mais profundidade no seu jogo e foi subindo gradualmente de rendimento, chegando mesmo ao empate após excelente cruzamento de João Santos a que Diogo Amaral respondeu de cabeça e Dinis Simão confirmou em cima da linha de golo, fixando o empate no último minuto da primeira parte.
Depois do intervalo o Santa Clara apareceu transfigurado e dominou toda a segunda parte.Com o bloco mais alto a nossa equipa raramente deu espaço aos médios do adversário para construir (o que não tinha acontecido na primeira parte). Ofensivamente as oportunidades de golo iam aparecendo e Telmo Vieira depois de jogada de insistência viu um contrário retirar a bola em cima da linha de golo e Paulo Henrique viu ser-lhe anulado um golo sem razão aparente pois o guarda-redes contrário foi tocado dentro de área por um colega de equipa e não pelo nosso atleta, sendo que o árbitro claramente se precipitou no apito.
Até final os nossos jovens souberam muito bem gerir o resultado. Os nossos juvenis terminam assim o campeonato regional na primeira posição com doze golos marcados e um golo sofrido.
No campo das Figueiras o Santa Clara alinhou com: Hugo Viveiros; Bruno Lobo, Diogo Amaral, Paulo Henrique e Francisco Gomes; Tomás, João Santos e Rui Brilhante (Hugo Tavares); Miguel Resendes (Miguel Sousa), Telmo Vieira e Dinis Simão (Miguel Pavão).
Treinador: Luís Silva.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Somos campeões dos Açores!

Os nossos iniciados sagraram-se campeões dos Açores após golearem o Angrense por 5-2 em partida da quarta jornada do regional. Um final de segunda parte demolidor permitiu festejar o ceptro quando ainda faltam disputar duas jornadas.

No passado sábado a equipa de iniciados do Santa Clara foi a Angra do Heroísmo vencer o Angrense por 5-2, num jogo onde os últimos dez minutos foram avassaladores dos nossos miúdos e tornaram-se os novos campeões açorianos a uma jornada do final do campeonato.
Quanto ao jogo em si, a nossa equipa entrou praticamente a perder na partida com um golo sofrido de bola parada numa desatenção da nossa defensiva, no entanto os miúdos encarnados não se assustaram e conseguiram impor o seu futebol apoiado e foram criando algumas situações para empatar a partida, golo este que surgiu através de um pontapé de canto com Rodrigo Matos a saltar mais alto que todos e a fazer justiça no marcador.
No decorrer da primeira parte tivemos que alterar o xadrez por duas vezes com as lesões de Rodrigo Oliveira e Luís Pé-Curto e entraram na partida Filipe Medeiros e Rui Jordão que viriam a tornar-se decisivos na reviravolta final.
Na segunda parte entramos com a mesma toada e falhamos por várias vezes o segundo golo e quem não marca arrisca-se a sofrer e foi o que aconteceu, novo golo do Angrense novamente de bola parada com nova falha de marcação.
A dez minutos do final o mister Hélio Oliveira chamou João Gomes a entrar na partida e passou a jogar num 3x5x2, claramente à procura do golo do empate que permitisse levar o título já na bagagem para São Miguel.
Melhor do que isso aconteceu nos últimos dez minutos, a equipa ficou com mais homens na frente de ataque e Miguel Rodrigues decidiu abrir o livro e "partiu" tudo o que lhe apareceu à frente. Numa jogada individual pelo corredor direito assistiu de bandeja Rui Jordão que só encostou para o fundo das redes fazendo a igualdade. Volvidos dois minutos novo canto, novo golo de Rodrigo Matos, novamente volvidos dois minutos Miguel Rodrigues pelo corredor direito serve na perfeição Diogo Andrade que com muita classe e calma coloca a redondinha no canto superior esquerdo da baliza do Angrense.
No último minuto da partida Miguel Rodrigues (jogador que já assinou mais um ano de contrato para a próxima época na equipa encarnada) fez um golo simplesmente magistral, um golo de letra só ao alcance dos melhores do mundo.
Parabéns à equipa de iniciados do Santa Clara, jogadores, equipa técnica, directores e adeptos. Agradecemos também a recepção no aeroporto por parte dos pais, directores e adeptos da equipa do Santa Clara.
Nos nacionais os pupilos de Hélio Oliveira devem medir forças com Benfica ou Sporting, Setúbal ou Olhanense e Académica ou União de Leiria, na segunda fase do campeonato nacional de iniciados que se inicia no dia 18 de Fevereiro.
No Municipal de Angra do Heroísmo, o Santa Clara alinhou com: Rodolfo Cardoso; Miguel Botelho (Gonçalo Pina, 65), Rodrigo Matos, Cláudio D’Job e Fábio Oliveira (João Gomes, 55); Rodrigo Oliveira (Filipe Medeiros, 15), Rodrigo Furtado e Diogo Andrade; Miguel Rodrigues e Luís Pé-Curto (Rui Jordão, 25).
Treinadores: Hélio Oliveira e Tiago Melo.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Somos campeões dos Açores!

Os nossos iniciados sagraram-se campeões dos Açores após golearem o Angrense por 5-2 em partida da quarta jornada do regional. Um final de segunda parte demolidor permitiu festejar o ceptro quando ainda faltam disputar duas jornadas.

No passado sábado a equipa de iniciados do Santa Clara foi a Angra do Heroísmo vencer o Angrense por 5-2, num jogo onde os últimos dez minutos foram avassaladores dos nossos miúdos e tornaram-se os novos campeões açorianos a uma jornada do final do campeonato.
Quanto ao jogo em si, a nossa equipa entrou praticamente a perder na partida com um golo sofrido de bola parada numa desatenção da nossa defensiva, no entanto os miúdos encarnados não se assustaram e conseguiram impor o seu futebol apoiado e foram criando algumas situações para empatar a partida, golo este que surgiu através de um pontapé de canto com Rodrigo Matos a saltar mais alto que todos e a fazer justiça no marcador.
No decorrer da primeira parte tivemos que alterar o xadrez por duas vezes com as lesões de Rodrigo Oliveira e Luís Pé-Curto e entraram na partida Filipe Medeiros e Rui Jordão que viriam a tornar-se decisivos na reviravolta final.
Na segunda parte entramos com a mesma toada e falhamos por várias vezes o segundo golo e quem não marca arrisca-se a sofrer e foi o que aconteceu, novo golo do Angrense novamente de bola parada com nova falha de marcação.
A dez minutos do final o mister Hélio Oliveira chamou João Gomes a entrar na partida e passou a jogar num 3x5x2, claramente à procura do golo do empate que permitisse levar o título já na bagagem para São Miguel.
Melhor do que isso aconteceu nos últimos dez minutos, a equipa ficou com mais homens na frente de ataque e Miguel Rodrigues decidiu abrir o livro e "partiu" tudo o que lhe apareceu à frente. Numa jogada individual pelo corredor direito assistiu de bandeja Rui Jordão que só encostou para o fundo das redes fazendo a igualdade. Volvidos dois minutos novo canto, novo golo de Rodrigo Matos, novamente volvidos dois minutos Miguel Rodrigues pelo corredor direito serve na perfeição Diogo Andrade que com muita classe e calma coloca a redondinha no canto superior esquerdo da baliza do Angrense.
No último minuto da partida Miguel Rodrigues (jogador que já assinou mais um ano de contrato para a próxima época na equipa encarnada) fez um golo simplesmente magistral, um golo de letra só ao alcance dos melhores do mundo.
Parabéns à equipa de iniciados do Santa Clara, jogadores, equipa técnica, directores e adeptos. Agradecemos também a recepção no aeroporto por parte dos pais, directores e adeptos da equipa do Santa Clara.
Nos nacionais os pupilos de Hélio Oliveira devem medir forças com Benfica ou Sporting, Setúbal ou Olhanense e Académica ou União de Leiria, na segunda fase do campeonato nacional de iniciados que se inicia no dia 18 de Fevereiro.
No Municipal de Angra do Heroísmo, o Santa Clara alinhou com: Rodolfo Cardoso; Miguel Botelho (Gonçalo Pina, 65), Rodrigo Matos, Cláudio D’Job e Fábio Oliveira (João Gomes, 55); Rodrigo Oliveira (Filipe Medeiros, 15), Rodrigo Furtado e Diogo Andrade; Miguel Rodrigues e Luís Pé-Curto (Rui Jordão, 25).
Treinadores: Hélio Oliveira e Tiago Melo.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Formação do Santa Clara na rota do sucesso

Nas últimas duas épocas, as equipas dos escalões de formação do Santa Clara conquistaram cinco campeonatos de S. Miguel e três títulos açorianos, resultados que confirmam o clube como a principal referência do futebol jovem regional.

Os escalões jovens do Santa Clara continuam a escrever páginas de ouro na história do maior clube dos Açores.
Nas últimas duas temporadas desportivas, e numa altura em que as competições de ilha de benjamins e infantis, relativas a esta época, ainda não estão concluídas, o Santa Clara conquistou cinco campeonatos de S. Miguel (Infantis, Iniciados [2], Juvenis [1] e Juniores [1]) e três campeonatos regionais (Iniciados [1], Juvenis [1] e Juniores [1]), resultados que confirmam o clube como a principal referência do futebol jovem regional.
No passado fim-de-semana, foram escritas duas novas páginas no livro de honra do Clube Desportivo Santa Clara, depois das equipas de Iniciados e Juvenis terem conquistado os títulos açorianos nos respectivos escalões, terminando com qualquer dúvida que pudesse haver sobre a qualidade do trabalho desenvolvido na “oficina” do futebol jovem encarnado.
Em Iniciados, a formação de Hélio Oliveira assegurou o título, a uma jornada do final do campeonato, ao triunfar na cidade Património Mundial sobre o Angrense, numa partida em que, para além da qualidade de jogo, ficou marcada pela capacidade de entrega, dedicação e sofrimento dos jogadores encarnados.
Sabe-se que não é fácil passar em Angra, por todos os motivos e mais algum. No entanto, os jovens do Santa Clara souberam contornar as dificuldades com um querer que só está ao alcance dos campeões, mesmo depois de terem estado a perder por duas vezes, virando o marcador para um implacável cinco a dois, fazendo a festa do título em casa do seu principal adversário.
Para quem vive o fenómeno do futebol jovem por dentro, o triunfo e exibição conseguida, contudo, não surpreende.
Desde o início da época, vislumbrava-se que o caminho trilhado teria de terminar em títulos, tal foi a dedicação colocada a cada sessão de trabalho e a seriedade com que foram encarados os momentos competitivos. E quando assim é, o sucesso está sempre mais perto, ficando uma palavra de agradecimento a todos os que colaboraram neste projecto, um grupo que inclui treinadores, directores, jogadores, roupeiros e restante pessoal envolvido, uma nota que se estende ainda às famílias dos atletas que foram inexcedíveis no apoio e colaboração prestadas ao clube.
Em Juvenis, oito anos depois, o Santa Clara voltou a conquistar um título regional, uma marca que merece assim todo o destaque.
Liderado pelo jovem técnico Luís Silva, o percurso que agora terminou com a conquista do campeonato dos Açores começou com o lançamento das primeiras bases, na temporada transacta.
Desde então se percebeu que este grupo tinha qualidade para alcançar altos voos, desiderato que foi confirmado nesta época desportiva.
No domingo, em Santo António, foi bonito viver um momento de plena união da família encarnada.
Dirão os mais cépticos que a exibição não foi a mais conseguida, principalmente na primeira parte, mas o espírito dos verdadeiros ganhadores vê-se nos momentos difíceis e aí, bem aí, os atletas encarnados foram gigantes no querer e na vontade.
Pegando numa expressão bem conhecida da linguagem futebolística, “a nota artística não foi a melhor”, no entanto, no final ficou mais um título para a galeria dourada do Clube Desportivo Santa Clara e, no fundo, daqui uns dias, ninguém se lembrará como foi o jogo, mas o campeonato conquistado perdurará na história deste grupo que, nos últimos anos, muitas alegrias nos tem dado.
Renovados votos de congratulações a todo o grupo, do qual ninguém se deve imiscuir, porque uma equipa é feita de um conjunto de valores que criam um elo que, uma vez forte, nunca ninguém o conseguirá quebrar.
Neste texto, não posso deixar de referir uma nota. Os resultados alcançados dão razão a quem um dia pensou em criar uma “casa do futebol de formação” do Santa Clara.
A escolha recaiu em Santo António Além Capelas, e apesar do local poder ser discutido, a verdade é que, desde então, tudo mudou.
Concentrar os escalões de Iniciados, Juvenis e Juniores naquele espaço acabou por se revelar uma excelente escolha. Quem quer ganhar não pode, nem deve, andar com a “casas às costas”. E a verdade é que, desde então, tem havido continuidade no trabalho. O espírito de franca convivência, a contínua troca de impressões entre as equipas técnicas e directivas dos diversos escalões tem-se revelado uma receita de sucesso e, meus amigos, o futuro começa já amanhã.
Para os agora campeões, com a presença nas respectivas fases dos campeonatos nacionais, para os restantes há ainda muito para conquistar, porque, repito, quando se trabalha com qualidade e dedicação os resultados sempre aparecem.
Bem-haja a quem dá corpo ao sonho de um Santa Clara ganhador.
Pedro Botelho

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

sábado, 28 de janeiro de 2012

Alex vai ao estágio dos sub-21

Avançado do Santa Clara também está entre os convocados de Rui Jorge para o estágio de preparação que decorrerá entre segunda e quarta-feira, em Óbidos. O atacante foi chamado à última hora.

O avançado Alex, jogador do Santa Clara, foi convocado à última hora por Rui Jorge para o estágio de preparação da selecção portuguesa de sub-21, a realizar entre os dias 23 e 25 de Janeiro, em Óbidos. Alex junta-se a Paulo Grilo nesta convocatória.
Alex, vice-campeão do Mundo no escalão sub-20, confirma com esta chamada as boas indicações deixadas na nossa equipa de futebol sénior, onde tem sido titular e já apontou três golos no campeonato da Liga Orangina.
O estágio visa a preparação para o jogo com a Ucrânia, partida de qualificação para o Europeu de sub-21 que será disputado em 2013, em Israel. Recorde-se que Alex já tinha sido pré-convocado para os trabalhos desta selecção.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Arouca 1-0 Santa Clara


Golo no período de descontos da primeira parte ditou nova derrota para a nossa equipa. Mais uma vez, o resultado não foi consentâneo com o desempenho dos jogadores que deram tudo na procura de um desfecho mais favorável.

Mais uma vez o resultado não é condizente com a produção da nossa equipa. A derrota consentida em Arouca (1-0) está carregada de injustiça pois a haver um vencedor teria de ser o Santa Clara. Porém, o adversário marcou numa das poucas oportunidades (fugazes) que teve para facturar e ficamos a dever a nós próprios um desfecho positivo.
O Santa Clara apresentou-se motivado depois de uma boa exibição no terreno do Benfica e dominou os primeiros 45 minutos, período durante o qual criou boas oportunidades para marcar. Invariavelmente, o guarda-redes contrário foi sempre adiando o golo com defesas a remates de Lourenço, por duas vezes, Platini, também por duas ocasiões e ainda a Minhoca.
Na primeira oportunidade de Platini ficou a sensação de haver falta de Bruno Conceição passível de grande penalidade mas o árbitro assim não entendeu. Até nestas apreciações o azar persegue-nos… E para cúmulo da infelicidade, no período de compensação da primeira parte o Arouca chegou ao golo na sequência de um livre inofensivo mas que Filipe Melo desviou para o fundo das redes.
A equipa sentiu o soco no estômago e perante um opositor que soube defender-se na etapa complementar faltou espaço para criar desequilíbrios tendo em vista a obtenção do empate que, diga-se, seria o mínimo ajustável ao desenrolar dos 90 minutos. Apesar da insistência, o merecido golo nunca surgiu e o Santa Clara saiu de Arouca com mais uma derrota injusta na bagagem.
No estádio Municipal de Arouca, o Santa Clara alinhou com: Stefanovic; Piccolo, Sandro, Ilic e Paulo Grilo; Pacheco, Lourenço (Nelson) e Minhoca (Dincic); Alex (Valdinho), Sylvestre e Platini.
Treinador: Bruno Moura.

Assistência: 398 espetadores

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

domingo, 22 de janeiro de 2012

Entrar a ganhar na segunda volta

Deslocação a Arouca encerra dificuldades mas o Santa Clara quer deitar para trás das costas uma série de resultados menos positivos e recolocar-se no rumo dos triunfos. Bruno Moura é um treinador confiante no sucesso.

O Santa Clara prossegue o campeonato da Liga Orangina no próximo domingo, dia 21, com a disputa da partida referente à 16.ª jornada, a primeira da segunda volta, no terreno do Arouca, adversário a quem a nossa equipa pretende vencer para recuperar de uma série de resultados menos positivos.
Recolocar a equipa no rumo dos triunfos é o desejo da equipa técnica, liderada por Bruno Moura, principalmente depois da injustiça no confronto com a Naval e a boa exibição no estádio da Luz, diante do Benfica. O nosso treinador sabe que vencer em Arouca não é tarefa fácil mas é com esse intuito que a equipa vai subir ao relvado.
«O Arouca reforçou-se e está a fazer um bom campeonato mas vamos lá com o intuito de recuperar os pontos que nos tiraram na última partida, em casa. Esperamos que a equipa dê a mesma resposta que deu frente à Naval mas que não haja interferências de terceiros no resultado», disse Bruno Moura.
Para este jogo o técnico encarnado terá novamente de proceder a alguns ajustes no onze titular pois André Simões e Moreira vão cumprir castigo, o primeiro por ter acumulado cinco amarelos na época e o segundo por ter sido expulso no confronto com o Benfica.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Lista de convocados para o jogo com o Arouca

O treinador do Santa Clara convocou vinte e um jogadores para a partida com o Arouca, a disputar domingo, às 14.00 horas, no estádio Municipal de Arouca, jogo referente à 16.ª jornada do campeonato da Liga Orangina.

Bruno Moura, treinador da equipa sénior do Santa Clara, convocou vinte e um jogadores para o desafio da 16.ª jornada do campeonato da Liga Orangina, frente ao Arouca, a realizar no próximo domingo, dia 21, no estádio Municipal de Arouca.
Os convocados são: Stefanovic, Guilherme, Sandro, Piccolo, Nelson, Minhoca, Pacheco, Platini, Valdinho, Alex, Djurdjevic, Edgar, Dincic, Pipo, Ilic, Lourenço, Tiago Maia, Brice Niclos, Paulo Grilo, Fernando e Sylvestre.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Paulo Grilo chamado à selecção sub-21

Médio do Santa Clara está entre os convocados de Rui Jorge para o estágio de preparação que decorrerá entre segunda e quarta-feira, em Óbidos. Alex estava pré-convocado mas não foi incluído na lista final.

O médio Paulo Grilo, polivalente jogador do Santa Clara, foi convocado por Rui Jorge para o estágio de preparação da selecção portuguesa de sub-21, a realizar entre os dias 23 e 25 de Janeiro, em Óbidos.
Paulo Grilo confirma com esta estreia na convocatória as boas indicações deixadas na nossa equipa de futebol sénior, onde tem evidenciado um crescimento contínuo, não deixando, por isso, de constituir opção para o seleccionador.
O estágio visa a preparação para o jogo com a Ucrânia, partida de qualificação para o Europeu de sub-21 que será disputado em 2013, em Israel. Recorde-se que o nosso avançado Alex também já tinha sido pré-convocado para os trabalhos desta selecção mas desta vez não foi opção para o seleccionador Rui Jorge.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Benfica 2-0 Santa Clara


A nossa equipa vendeu cara a derrota no terreno do Benfica mas ganhou moral para os jogos que se seguem no campeonato. A exibição no estádio da Luz dá confiança e motivação ao colectivo de Bruno Moura.

O Santa Clara perdeu por 2-0 no estádio da Luz, frente ao Benfica, em partida da segunda jornada do grupo B da Taça da Liga, mas ganhou confiança e motivação para encarar o regresso ao campeonato da Liga Orangina com maior entusiasmo. A exibição rubricada no terreno do actual líder do campeonato da Liga Zon Sagres foi, sem dúvida, encorajadora para o futuro próximo.
Nos primeiros minutos ainda se notou alguma natural ansiedade nos nossos jogadores que estavam a pisar pela primeira vez o relvado do estádio, mas depressa colocaram o nervoso miudinho para trás das costas e embalaram para sessenta minutos positivos onde por diversas vezes estiveram perto do golo.
O primeiro remate saiu dos pés de Lourenço, aos onze minutos, desviado para canto por um defensor. Do canto não surgiu perigo mas até à meia-hora o Santa Clara revelou ter a lição bem estudada, apresentando rigor táctico e espreitando o ataque amiúde na tentativa de chegar à vantagem.
Golo que poderia ter surgido aos 30 minutos quando Moreira flectiu da direita para o meio e rematou para defesa de Eduardo para canto. Do canto cobrado Minhoca e depois de um primeiro desvio ao primeiro poste, Sylvestre apareceu solto de marcação a cabecear à figura do guardião contrário em posição para fazer bem melhor.
Só se Benfica no minuto 42, primeiro num remate de Saviola que Stefanovic defendeu para canto com uma estupenda defesa e na sequência do canto Matic cabeceou para nova parada do nosso guarda-redes sérvio. O 0-0 ao intervalo era justo prémio para a atitude positiva do Santa Clara mas a vantagem no marcador nem ficaria mal.
O Benfica começou a tentar inverter o rumo dos acontecimentos ao intervalo com a entrada de Witsel mas a partida manteve-se favorável ao Santa Clara que, sem dificuldades de maior, ia anulando as poucas investidas contrárias. Só que Jorge Jesus tinha mais trunfos no banco e de uma assentada lançou Nolito e Rodrigo.
Nolito que haveria de desequilibrar com a sua velocidade num curto espaço de tempo, oferecendo a Nelson Oliveira e a Witsel a possibilidade de construíram o resultado final com golos aos 67 e 74 minutos. A nossa equipa ainda tentou reagir, Lourenço, de livre directo, ainda fez a bola rasar a trave da baliza contrária, mas a vencer o Benfica geriu a vantagem.
Com esta derrota o Santa Clara fica afastado da luta pelo apuramento para as meias-finais da Taça da Liga mas ganhou força interior para voltar aos triunfos no campeonato já na deslocação a Arouca, no próximo domingo.
No estádio da Luz, o Santa Clara alinhou com: Stefanovic; André Simões, Sandro, Ilic e Paulo Grilo; Pacheco, Lourenço e Minhoca (Djurdjevic); Moreira, Sylvestre (Alex) e Platini (Pipo).
Treinador: Bruno Moura.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Montra para exibir o que temos de bom

Pedro Pacheco, capitão do Santa Clara, salientou que jogar no estádio da Luz é um momento para a equipa mostrar a qualidade que possui. Guarda-redes Stefanovic alinha pelo mesmo diapasão.

Por se encontrar a disputar o campeonato da Liga Orangina o Santa Clara não convive frequentemente com os maiores clubes portugueses pelo que defrontar o Benfica em partida da Taça da Liga é uma oportunidade única para muitos dos nossos atletas que querem tirar o máximo proveito da ocasião para mostrarem as suas qualidades.
O capitão, Pedro Pacheco, reconheceu que a poucas horas da partida é natural que haja alguma ansiedade mas que tende a desaparecer nos primeiros minutos do encontro. «É normal existir um nervoso miudinho antes do jogo mas depois vai passando», disse, reconhecendo que a tarefa do Santa Clara se afigura difícil.
«O Benfica é forte em todos os aspectos e os resultados recentes falam por si. É um jogo onde esperamos muitas dificuldades mas vamos lá com o intuito de potenciar o que temos de bom a dignificar o clube e a Região que representamos», disse.
Na baliza do Santa Clara deverá estar Stefanovic, guarda-redes que espera uma noite de trabalho mas também uma oportunidade para o colectivo brilhar. «Toda a gente conhece o Benfica, estamos cientes das dificuldades que vamos ter pela frente mas vamos lá com vontade de mostrar o nosso futebol, mostrar o nosso valor».

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Oportunidade para mostrar qualidade

Santa Clara joga no estádio da Luz a partir das 19.15 horas desta quarta-feira, dia 18. Partida é referente à segunda jornada do grupo B da Taça da Liga. Bruno Moura tem os jogadores motivados para tentar surpreender um colosso do futebol nacional.

O Santa Clara defronta o Benfica na noite desta quarta-feira, dia 18, a partir das 19.15 horas, partida válida para a segunda jornada do grupo B da terceira fase da Taça da Liga. Oportunidade para os nossos jogadores mostrarem as suas qualidades num palco de eleição pois para eles será a primeira vez que irão evoluir no estádio da Luz.
A nossa equipa encara o jogo com sentido de responsabilidade mas também ciente das dificuldades que terá pela frente pois do outro lado estará o líder do campeonato da I Liga. O nosso treinador, Bruno Moura, quer que os atletas desfrutem o momento mas sem deixar de lado a vertente competitiva.
«A equipa está concentrada, sabe das dificuldades que vai enfrentar mas também sabe que esta é uma oportunidade única para mostrar qualidade num estádio monumental. Vamos procurar uma exibição positiva e um desempenho competitivo, pois se formos competentes e estivermos concentrados poderemos discutir o jogo», disse.
Bruno Moura não esconde tratar-se de um jogo diferente onde os níveis de motivação estarão em alta. «A Taça da Liga não é a nossa luta e a nossa missão nesta competição já foi alcançada. Vamos, isso sim, tentar desfrutar o momento, sem medos e com a consciência de que é possível vencer».
Do outro lado vai estar um adversário forte, independentemente das alterações que Jorge Jesus possa introduzir no onze. «Espero o melhor Benfica porque qualquer um dos jogadores do plantel tem qualidade para ser titular em qualquer equipa da I Liga. São todos opções competitivas contra as quais vamos lutar com as nossas armas na expectativa de conseguirmos defender alto e sermos fortes nas transições ofensivas para criarmos desequilíbrios no adversário».

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Lista de convocados para o jogo com o Benfica

O treinador do Santa Clara convocou dezoito jogadores para a partida com o Benfica, a disputar quarta-feira, dia 18, às 19.15 horas, no estádio da Luz, jogo referente à 2.ª jornada do grupo B da Taça da Liga.

Bruno Moura, treinador da equipa sénior do Santa Clara, convocou dezoito jogadores para o desafio da 2.ª jornada do grupo B da Taça da Liga, frente ao Benfica, a realizar na próxima quarta-feira, dia 18, no estádio da Luz.
Os convocados são: Stefanovic, Sandro, André Simões, Minhoca, Pacheco, Moreira, Platini, Valdinho, Alex, Djurdjevic, Edgar, Dincic, Pipo, Ilic, Lourenço, Brice Niclos, Paulo Grilo e Sylvestre.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Uma centena de adeptos na Luz

Santa Clara terá apoio de açorianos radicados em Lisboa e arredores. Concentração será às 17.00 horas num snack-bar em Carnide. Bilhetes à venda no local a cinco euros.

O jogo que o Santa Clara vai disputar na próxima quarta-feira, dia 16, no estádio da Luz, frente ao Benfica, referente à segunda jornada do grupo B da Taça da Liga, está a despertar interesse de muitos açorianos radicados em Lisboa e arredores que não querem perder a oportunidade de ver ao vivo a equipa mais representativa dos Açores.
Assim, nasceu nas redes sociais uma onda de apoio à nossa equipa de futebol profissional que visa levar ao estádio da Luz o maior número de adeptos possível. Quem estiver interessado só tem de estar pelas 17.00 horas de quarta-feira no snack-bar «Os Três Forasteiros», em Carnide, podendo fazer-se munir de cachecóis, camisolas ou outros adereços alusivos ao Santa Clara para emprestar um maior colorido nas bancadas.
Naquele estabelecimento comercial estão à venda bilhetes para o jogo (a cinco euros), sendo de prever que cerca de uma centena de adeptos encarnados se desloquem do local para o estádio da Luz, a pé, numa pequena romaria de cinco minutos. Dos Açores também é expectável que viagem alguns entusiastas para ver ao vivo o Santa Clara frente ao Benfica.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Santa Clara 2-2 Naval


O árbitro André Gralha teve influência no empate (2-2) consentido frente à Naval. A nossa equipa esteve por duas vezes na frente do marcador, mas duas decisões controversas permitiram aos forasteiros restabelecer o empate.

O Santa Clara poderia por estar altura contabilizar mais dois pontos na classificação do campeonato da Liga Orangina mas o árbitro, André Gralha, equivocou-se em dois lances decisivos dos quais resultaram os dois golos da Naval que permitiram aos forasteiros recuperar de duas desvantagens no marcador.
A partida da 15.ª jornada, a última da primeira volta, ficou assinalada pela dualidade de critérios do árbitro e pelo assinalar de faltas que se revelaram fatais para as nossas aspirações rumo ao regresso às vitórias. Isto para não falar da expulsão de Nelson por bola na mão num cruzamento à queima-roupa.
A nossa equipa, dentro das dificuldades emocionais em virtude de uma série de quatro derrotas consecutivas para o campeonato, entrou determinada em superar um momento menos positivo e chegou à vantagem logo aos cinco minutos num livre directo superiormente cobrado por Sandro. Mas para um conjunto que precisa vencer e se coloca cedo em vantagem, o golo teve efeito contrário ao desejado, ou seja, em vez de ajudar a serenar, elevou os índices de ansiedade porque o colectivo recuou na defesa do resultado e disso tirou partido a Naval para dominar as operações mas sem levar perigo à baliza de Stefanovic.
Porém, o árbitro haveria de transformar um corte de André Simões em falta para penalidade que Roberto transformou no empate, obtido à passagem do minuto 16. Convém realçar que por esta altura já três dos nossos jogadores tinham sido admoestados com a cartolina amarela por faltas perfeitamente normais. E o critério era só para o nosso lado! A segunda parte começou com a expulsão de Nelson por acumulação de amarelos em nova decisão controversa do árbitro.
A jogar em inferioridade numérica, o Santa Clara fez das fraquezas forças e recolocou-se em vantagem no marcador ao minuto 62 num remate colocado de Minhoca sem hipóteses de defesa para Taborda. A Naval reagiu como lhe competia, pressionou mas poucas vezes criou lances de efectivo perigo.
A vitória parecia segura mas já depois dos três minutos de compensação o árbitro viu falta num corte limpo de Djurdjevic – o sérvio só tocou na bola na disputa com Godinho – e do livre directo João Pedro fez o 2-2 final.

Contra tudo e contra todos vamos continuar a lutar pois este empate com sabor a vitória vai dar-nos mais forças para vencer as adversidades com que nostemos deparado ao longo da temporada, cientes de que muitas vezes teremos de jogar contra mais que onze elementos em campo.

No estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, o Santa Clara alinhou com: Stefanovic; Paulo Grilo, Sandro, Ilic e Nelson; Edgar (Minhoca, 45), André Simões e Pacheco; Moreira, Sylvestre (Lourenço, 65) e Platini (Djurdjevic, 88).

Treinador: Bruno Moura

Assistência: 403 espetadores

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Bruno Moura: «Vou ficar até ao fim»

Maus resultados não afastam técnico

O treinador do Santa Clara, Bruno Moura, garantiu esta quarta-feira que vai continuar aos comandos da equipa, apesar dos maus resultados das últimas jornadas.

"Fui um treinador pretendido no início da época para outras situações e, se não me deixaram sair, foi porque queriam que eu permanecesse. Se durante outros momentos da época, tive oportunidade de poder seguir outro rumo na minha carreira e sempre disse que acreditava neste projeto, então vou ficar até ao fim", disse o técnico depois do presidente do clube já ter afirmado a confiança em Moura.

O Santa Clara não vence desde novembro e caiu para o 9.º lugar, a 8 pontos da liderança, um mau momento reconhecido pelo técnico da formação de Ponta Delgada, que admite que a prioridade agora é olhar para o futuro.

"Estamos numa fase que não me parece fácil em termos de confiança. Existe alguma ansiedade, como tal temos de ser mais objetivos e procurar fazer bem aquilo que conseguimos controlar, que é a organização defensiva, não sofrer golos, não conceder espaços e esperar um momento de desequilíbrio do adversário para que consigamos sair vitoriosos", assume Bruno Moura.

Fonte: Jornal Record

Vamos responder com o dobro da motivação

Bruno Moura deu a cara perante os jornalistas no rescaldo a mais uma derrota sofrida pela nossa equipa no campeonato da Liga Orangina. Reconhece que existe ansiedade mas garante que o colectivo vai apresentar-se motivado para derrotar a Naval.

O treinador do Santa Clara, Bruno Moura, optou por ser ele a marcar presença na conferência de Imprensa após os jogos para, enquanto líder do plantel, fazer um balanço aos últimos resultados menos positivos e responder às questões dos jornalistas em momento menos favorável em termos de conquista de pontos.
E começou pelo desaire em Moreira de Cónegos, o quarto consecutivo no campeonato da Liga Orangina. «O jogo já foi escalpelizado e mais uma vez sofremos um golo cedo mesmo tendo entrado bem na partida. Depois, numa transição, o Moreirense fez o segundo golo. Mudamos na segunda parte mas só em remates de meia distância é que criamos relativo perigo. Revelamos alguma incapacidade nos últimos trinta metros para criar situações de finalização», disse.
Bruno Moura reconheceu que a fase por que a equipa atravessa «não é fácil», mas realçou que é preciso «acreditar no trabalho» para superar este momento. «Temos que ser nós a dar a resposta. Já demos oportunidade a jogadores que estavam a ser menos utilizados, mudamos a estrutura e os intervenientes mas os resultados não apareceram», disse.
O nosso técnico mantém a confiança num futuro melhor e espera um inverter da situação já na recepção à Naval, no próximo sábado. «Estamos numa fase que não é fácil em termos de confiança e ansiedade mas acredito que sábado vamos sair com a vitória. Temos que ser nós a dar resposta e se existe pressão vamos responder com o dobro da motivação e dinamismo», assegurou.

fonte: site oficial do SANTA CLARA

Moreirense 2-0 Santa Clara

Apesar do esforço desenvolvido, a ansiedade toldou o desempenho dos nossos jogadores e o azar voltou a bater-nos à porta. Derrota em Moreira de Cónegos foi a quarta consecutiva no campeonato mas vamos dar a volta à situação.

O Santa Clara averbou a quarta derrota consecutiva no campeonato da Liga Orangina ao perder por 2-0 no confronto com o Moreirense em partida da 14.ª jornada. A deslocação a Moreira de Cónegos não trouxe a desejada inversão de um ciclo negativo de resultados mas a resposta dos nossos jogadores às adversidades deixa antever um futuro próximo bem melhor.
A nossa equipa entrou praticamente a perder pois logo aos sete minutos Bruno Moreira fez o 1-0 após cruzamento de Tiago Carneiro. Se o confronto já era complicado, mais se tornou com a obrigatoriedade de correr atrás do prejuízo, uma situação para a qual o nosso treinador tinha alertado e era importante minimizar.
A reacção surgiu de pronto mas a sorte nada quis connosco pois o remate forte e colocado de Platini foi devolvido pelo poste. O empate poderia ter dado outra confiança à nossa equipa que evidenciou alguns níveis de ansiedade que acabaram por toldar um melhor desempenho. E para agravar o cenário Bruno Moreira, aos 35 minutos, fez o 2-0.
Bruno Moura mexeu na estrutura da equipa ao intervalo com o intuito de lhe conferir maior capacidade para se aproximar da área contrária mas a vontade de querer executar depressa e bem apenas beneficiou o opositor que, mais tranquilo, segurou a vantagem de dois golos até ao final da contenda.
No estádio Comendador Joaquim Freitas, em Moreira de Cónegos, o Santa Clara alinhou com: Stefanovic; Guilherme (André Simóes), Sandro, Piccolo (Valdinho) e Nelson; Edgar, Pacheco e Lourenço (Pipo); Platini, Moreira e Paulo Grilo.
Treinador: Bruno Moura.

Assistência: 1038 espetadores

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

sábado, 7 de janeiro de 2012

Golos do Santa Clara em Novembro e em Dezembro


No início de cada mês será publicado neste blog um video com os melhores golos do mês passado, e estará disponível uma votação para eleger o melhor golo do mês.

No final da época será publicado um video que vai reunir os melhores golos de cada mês, para depois eleger o melhor golo da época 2011/2012 do Santa Clara.

Fiquem agora com os golos de Novembro e Dezembro, e votem, têm até dia 31 de Janeiro.

Bruno Moura só pensa na vitória

Treinador do Santa Clara quer os três pontos no confronto com o Moreirense para colocar um ponto final num ciclo difícil. Deseja que a ansiedade não retire discernimento ao colectivo no momento da finalização.

O Santa Clara procura no terreno do Moreirense, em jogo da 14.ª jornada do campeonato da Liga Orangina, o regresso aos triunfos para colocar um ponto final num ciclo de resultados menos positivo. A nossa equipa vem de três derrotas consecutivas no campeonato e nesta deslocação o treinador o importante é pontuar.
«Espero um Santa Clara vitorioso, essencialmente isso, porque nesta fase não nos preocupa a qualidade de jogo. Temos que ir atrás do resultado, precisamos de uma boa dose de confiança e essa só se consegue com a vitória. Se vencermos ficaremos com os mesmos pontos que um candidato assumido à subida», disse.
Bruno Moura reconheceu que o momento não é o melhor mas afastou qualquer sinal de alarme. «Não podemos ficar alarmados apenas porque podíamos ter feito mais. Esta fase está relacionada com a falta de eficácia no momento da finalização, uma situação à qual temos procurado dar resposta nos treinos. Mas falta-nos uma vitória para serenarmos. Existe muita ansiedade e isso tem retirado algum discernimento no momento da finalização porque existe pressa de querer fazer as coisas bem», assumiu.
Mas o técnico acredita num futuro melhor. «Somos capazes de fazer mais e melhor e temo-lo demonstrado nos treinos. Mais cedo ou mais tarde os resultados vão voltar a aparecer e espero que seja já em Moreira de Cónegos. A equipa tem tido uma atitude positiva e assim vamos continuar na procura do resultado».

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Lista de concocados para o jogo com o Moreirense


O treinador do Santa Clara convocou dezoito jogadores para a partida com o Moreirense, a disputar domingo, às 15.00 horas, no estádio Comendador Joaquim Freitas, jogo referente à 14.ª jornada do campeonato da Liga Orangina.

Bruno Moura, treinador da equipa sénior do Santa Clara, convocou dezoito jogadores para o desafio da 14.ª jornada do campeonato da Liga Orangina, frente ao Moreirense, a realizar no próximo domingo, dia 08, no estádio Comendador Joaquim Freitas.
Os convocados são: Stefanovic, Guilherme, Sandro, Piccolo, Nelson, André Simões, Pacheco, Moreira, Platini, Valdinho, Alex, Djurdjevic, Edgar, Pipo, Lourenço, Tiago Maia, Paulo Grilo e Sylvestre.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Tiago Maia e Pipo voltam à selecção sub-20 de Portugal


Jogadores do Santa Clara voltaram a merecer a confiança do seleccionador Ilídio Vale. Selecção portuguesa cumpre novo estágio entre 8 e 12 de Janeiro, em Leiria, com dois jogos particulares com a Eslováquia.

O guarda-redes Tiago Maia e o avançado Pipo, ambos jogadores do Santa Clara, foram novamente convocados por Ilídio Vale para mais um estágio de preparação da selecção portugue

sa de sub-20, a realizar entre os dias 8 e 12 de Janeiro, em Leiria.
Os dois atletas do Santa Clara confirmam com esta presença na convocatória as boas indicações deixadas na nossa equipa de futebol sénior, onde têm evidenciado um crescimento contínuo, não deixando, por isso, de constituir opção para o seleccionador.
Tiago Maia e Pipo apresentam-se em Leiria após o jogo com o Moreirense e regressam a Ponta Delgada no dia 12 de Janeiro após a conclusão do estágio que para além dos habituais treinos engloba ainda dois jogos de preparação com a Eslováquia, a disputar nos dias 10 e 12 de Janeiro.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Táxi aéreo para a Madeira


Numa iniciativa a todos os títulos louvável, a direcção do Clube Desportivo Santa Clara e a administração da Santa Clara Futebol Açores SAD organizou, na recente deslocação da equipa de futebol profissional à Madeira, uma verdadeira “ponte aérea” entre a ilha de S. Miguel e Pérola do Atlântico.
Ao todo, a comitiva encarnada foi composta por cerca de 80 pessoas, entre elementos do plantel profissional, directores, colaboradores, treinadores da formação e atletas que integram os plantéis das formações mais jovens do maior clube dos Açores, membros da claque “Red Boys on Fire” e alguns adeptos, sócios e simpatizantes.
A festa começou por volta das 08h30 no aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada, ponto de encontro para o embarque no Dash Q400 Manuel de Arriaga, da Sata Air Açores, que, por um dia, se transformou num verdadeiro táxi aéreo do Santa Clara.
Entre os imperiosos votos de “um feliz 2012”, nos rostos de quem teve a oportunidade de participar nesta iniciativa estava estampada a satisfação por a direcção ter decidido levar mais alto o nome do Clube, havendo a certeza de que naquela segunda-feira a Madeira seria mais vermelha, tamanha foi a onda de apoio e de esperança que voou nas asas de um sonho que a muitos dificilmente lhes passaria pela mente.
Em ambiente de franca convivência, a viagem rumo à Madeira fez-se de forma tranquila no meio de animados diálogos dominados, invariavelmente, pelo nome do Santa Clara, mas sem que alguém desse extrema importância ao motivo pelo qual estávamos sentados naquele avião: o jogo contra o Marítimo.
Claro está que todos levavam a esperança de alcançar um bom resultado, mas durante algumas horas o aspecto competitivo esteve de parte, para darmos asas a recordações, a memórias e aos aspectos sociais de uma acção que só está ao alcance dos grandes clubes, e a verdade é que o Santa Clara é a maior referência desportiva e clubística do nosso Arquipélago.
À chegada à Madeira, esperava-nos um tempo frio, mas solarengo, propício a receber os irmãos do ilhéu vizinho.
A viagem corria célere, provavelmente também devido à ansiedade em saber o que nos tinha sido preparado, e as surpresas sucediam-se. Saídos do aeroporto, dirigimo-nos para um restaurante onde cuidadosamente estavam preparadas umas magníficas espetadas à madeirense para um almoço em família, a verdadeira família encarnada, já depois de nos termos despedido da equipa profissional que seguiu para local tranquilo, no seio do qual esperou pela hora de seguir para os Barreiros.
No restaurante, surgiam os primeiros cânticos de apoio aos encarnados, interrompidos por um discurso tranquilo e realista do Presidente da SAD e do Clube, Mário Batista, no qual não foi esquecido o reconhecimento a todos aqueles que, por amor à camisola, se dedicam de forma descomprometida a elevar o nome Santa Clara.
Já com os estômagos confortáveis, a viagem rumou para o complexo desportivo da Choupana, casa do Nacional da Madeira, onde as boas-vindas e respectiva visita guiada nos foi proporcionada pelo filho do conhecido João Pacheco de Melo, santaclarense de gema, que ali exerce a função de Director de Marketing.
Em plena Choupana, verificamos a diferença que nos separa dos nossos irmãos madeirenses, já que estivemos num verdadeiro complexo desportivo, onde nada falta. Campos de treino quanto baste, uma unidade hoteleira no interior, auditórios, gabinetes técnicos, ginásio, enfim tudo aquilo que um clube precisa para desenvolver a sua actividade e que, infelizmente, o Santa Clara ainda não tem.
Foi no meio de tudo isto que subimos ao relvado para a foto de família, antes de nos despedimos e rumarmos ao centro da cidade do Funchal, momento aproveitado para a compra de algumas recordações, em poucos minutos, já que era necessário seguir para o estádio dos Barreiros, onde os nossos fiéis profissionais aguardavam pelo nosso apoio para o jogo frente ao Marítimo.
Desportivamente, sabe-se, a partida não deixa grandes saudades, mas sempre deu para ver que há razões para acreditar num futuro melhor em termos de resultados, já que na entrega não há nada a apontar a esta equipa do Santa Clara.
Estava a chegar ao fim esta jornada de franco convívio. Era tempo de seguir para o aeroporto do Funchal para regressar a casa nas asas do Manuel de Arriaga.
Partimos com saudade de um momento de inolvidável fervor clubístico, durante o qual convivemos harmoniosamente e que esperamos repetir.
São acções como estas que nos diferem dos outros e que nos dão um orgulho extremo em dizer: eu sou do Santa Clara, o maior e mais importante clube açoriano, capaz de ombrear com os melhores e que, por um dia, nos proporcionou sensações díspares, todas elas boas, todas elas para mais tarde recordar.
Bem haja a quem tornou tudo isto possível.

Pedro Botelho

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Uma vitória para recuperar

Djurdjevic acredita que com um triunfo em Moreira de Cónegos o Santa Clara recolocará o Santa Clara no rumo da recuperação depois de quatro consecutivas. Médio trabalha para ser opção mais vezes.

Djurdjevic foi uma das surpresas que o nosso treinador, Bruno Moura, reservou para o onze titular que defrontou o Marítimo na estreia na terceira fase da Taça da Liga. O médio sérvio jogou de início e deixou boas indicações para o futuro, ele que nos primeiros meses da época esteve a adaptar-se a uma nova realidade.
Utilizado somente doze minutos no confronto com a União de Leiria, na segunda mão da eliminatória de acesso à terceira fase desta competição, Djurdjevic mereceu nova oportunidade e desta vez directamente ao onze, tendo cumprido 69 minutos em campo. No final, avaliou pela positiva o seu desempenho.
«Penso que joguei bem, tal como toda a equipa, mas acabamos por perder e por isso a satisfação não foi total. É preciso realçar que o Marítimo é uma grande equipa. Demos o nosso melhor», referiu, antes de explicar o porquê de estar a ser pouco utilizado: «A competitividade no plantel é muito forte e todos trabalham com afinco para serem opção. Tenho feito o mesmo e aguardo pelas oportunidades para mostrar o meu valor».
O Santa Clara acumulou na Madeira a quarta derrota consecutiva mas Djurdjevic confia num futuro melhor. «É um momento difícil essencialmente justificado com os erros que cometemos e que os adversários aproveitam mas estou convicto que bastará uma vitória para iniciarmos a recuperação».
E essa convicção poderá acontecer já domingo, frente ao Moreirense. «Temos uma equipa, bom ambiente e acreditamos que vamos recuperar a começar já na próxima partida», vincou.

Fonte: site oficial do SANTA CLARA

Marítimo 2-0 Santa Clara

A teórica superioridade do Marítimo ficou confirmada no resultado final. A nossa equipa bateu-se bem, mostrou atributos mas faltou-lhe capacidade de decisão no momento da finalização.

O Santa Clara perdeu por 2-0 no estádio dos Barreiros, no Funchal, diante do Marítimo, em partida da primeira jornada do grupo B da Bwin Cup. Foi a estreia da nossa equipa em fase tão avançada da competição onde entram em prova as formações que terminaram o campeonato da Liga Zon Sagres nas oito primeiras posições.
Esperadas, portanto, dificuldades acrescidas frente a um Marítimo que está a realizar uma boa época, às quais o Santa Clara ripostou na medida do que lhe foi possível, rubricando uma exibição positiva mas onde a diferença de ritmos ficou bem patente, principalmente quando os locais imprimiam maior velocidade.
Os primeiros minutos foram de pressão por parte do Marítimo que aos quatro minutos viu Sami acertar no poste e, aos seis, Baba inaugurou o marcador. Vinte minutos depois o mesmo jogador elevou para 2-0 na conversão de uma penalidade e, aos 38, falhou o terceiro novamente da marca dos onze metros, atirando para fora.
Penalidade a que o Santa Clara não teve direito, aos 39 minutos, num livre de Alex que um defesa contrário desviou com o braço. Antes, Lourenço já tinha tentado a sua sorte num remate de meia distância mas o guarda-redes Salin desviou para canto.
Bruno Moura refrescou o ataque para a segunda parte e a entrada de Platini mexeu mais com o terço ofensivo encarnado mas no momento da finalização continuamos a não ter a felicidade do nosso lado. Lourenço voltou a ter um disparo do meio da rua mas Salin voltou a negar-lhe o golo e Minhoca, de cabeça, bem posicionado na área, atirou ao lado.
Por aquilo que fez no estádio dos Barreiros, principalmente na segunda parte, onde chegou a equilibrar a contenda e a evidenciar períodos de maior supremacia, principalmente depois da expulsão de Roberge, a nossa equipa merecia no mínimo o tento de honra mas fica a sensação de dever cumprido frente a um opositor teoricamente superior.
No estádio dos Barreiros, no Funchal, o Santa Clara alinhou com: Stefanovic; Guilherme, Sandro, Piccolo e Nelson; Djurdjevic (Minhoca, 71), Pacheco (Valdinho, 87) e Lourenço; Alex, Moreira e Sylvestre (Platini, 45).
Treinador: Bruno Moura.

Assistência: 1242 espetadores

Fonte: site oficial do SANTA CLARA